Sobre o tempo e a maturidade

E, olhando o relógio, vejo que já são 8h00 da noite, o calendário marca que dezembro chegou. Me surpreende o tempo que vem me engolindo e que, às vezes, passa tão devagar. Nessa conversa, que parece daquelas que tenho com alguém quando quero “passar o tempo”, começo a refletir sobre Chronos e Kairós. O primeiro é o tempo contado por números, horas, dias, anos. O segundo, “o tempo oportuno”, é o que tudo leva para maturar, é o tempo da natureza.

Quando pensei em empreender e como realizar meu propósito, precisei aprender muitas coisas. Entre tecnicidades e desenvolvimento de conhecimentos próprios para gerir uma empresa, fui aprendendo a praticar o respeito a Kairós.

Aprendi que enxergar o plano de negócio e cuidar se o retorno vem é importante. E perceber e acreditar no tempo de aprender qual é, realmente, o meu negócio, refletindo sobre o porquê de estar fazendo o que faço, também é fundamental e constante.

Descobri que preciso acreditar e perceber as nuances que existem nas relações, trazendo os aprendizados novos que recebo e me permitir transformar, me abrir para mudar ou permanecer do jeito que está. Perceber que o que faz o tempo acelerar ou passar um pouco mais devagar são as realizações que promovo e o impacto de cada uma delas com as mesmas 24 horas que todos temos em um dia.

A atenção ao tempo de maturidade me traz um olhar para o todo, para o ecossistema e, então, a colaboração, a interação e o propósito começam a reger de forma mais clara minha vida. Percebo o tempo, não só nas horas do relógio, também nas relações que começam a amadurecer e, como na natureza, me trazem frutos que estão prontos para que eu desfrute.

Em um círculo virtuoso, me conecto cada vez mais com possibilidades de realizar experiências importantes para desenvolver meu propósito. Assim, o passar das horas, dos dias e dos meses não mais me surpreende e, sim, me satisfaz por ter tido tempo para enxergar e de sentir o que o tempo traz.

 

Facebook Twitter Linkedin+
Profile picture for user Ana Zacharias
Ana Zacharias
Meu propósito é acompanhar pessoas no reconhecimento da sua autenticidade e da liberdade que o autoconhecimento proporciona. Atuo como coach, sou criadora e facilitadora de programas de autoconhecimento, mentora e integrante do board do projeto Libria, cofundadora do Villa Coworking. Formada em coaching ontológico pela Newfield Network no Chile; Executive e Life Coach pela ICI.