Quando Ricardo Gottlieb Lindenbojm, o Rico, decidiu participar do RUA (Rede Ubuntu de Aprendizagem), em março de 2015, buscava conhecer pessoas interessantes e inspiradoras e ampliar seu círculo de amizades. Naquela época, não imaginava que esse programa de autoconhecimento o inspiraria a fazer, um ano e meio depois, novos amigos em São Paulo e também no Peru, Nicarágua, Costa Rica, África do Sul, Moçambique, Quênia, entre outros países. E muito mais!

Nesse curto período, diante de uma mudança nos negócios, movido pelo EUpreendedorismo e por sua paixão por viagens, surfe e mergulho, Rico deu uma virada profissional voltada a fazer o bem. O promissor resultado desse processo é a Passion & Purpose Experience, agência especializada em Volunturismo, atividade para quem quer viajar e, também, fazer trabalho voluntário.

Talvez, a vontade de mudar os rumos da carreira já estivesse latente quando os encontros do RUA começaram. Publicitário, Rico era sócio há 11 anos de uma bem-sucedida agência de eventos. Por outro lado, se sentia um pouco acomodado, cansado “de fazer mais do mesmo”. Foi quando, em comum acordo, ele e o sócio resolveram encerrar as atividades da agência e seguir caminhos distintos. Um ciclo havia se encerrado e um novo estava prestes a começar.  

Nas conversas do RUA, Rico ouviu o termo Volunturismo pela primeira vez. O interesse o levou a pesquisar o assunto e a fazer uma viagem para Corumbá de Goiás, próximo à Brasília, visando a aprender mais e ver como funcionava esse tipo de experiência. Voltou entusiasmado e decidido a investir nesse novo negócio. “Tinha definido o meu propósito: oferecer às pessoas, por meio dos programas de viagem, oportunidades de vivenciarem experiências transformadoras voltadas a fazer o bem”, conta Rico.

Faltava tirar o plano de negócios do papel. Assim que o RUA terminou, se inscreveu na Aceleradora de Propósito, programa da Rede Ubuntu voltado ao desenvolvimento de empreendimentos e projetos. Durante esse novo processo, estagiou em uma agência de turismo, para entender a dinâmica do negócio. Por meses, visitou vários países, para firmar parcerias com entidades dispostas a receber os turistas e, assim, montar programas em destinos de interesse dos turistas brasileiros. Também estudou medidas necessárias para garantir a atuação responsável nas opções oferecidas, como por exemplo, a apresentação de atestado de antecedentes criminais pelos turistas, uma vez que o trabalho voluntário envolve crianças.

“A Rede Ubuntu foi fundamental em todo esse processo. Foi lá que a faísca inicial se deu e o projeto tomou forma e nasceu”, afirma Rico. No começo, ele se sentia como se estivesse o tempo todo em uma montanha russa, sensação comum a todo empreendedor. Mas tinha o apoio da família e reserva financeira, por conta da agência de eventos, ou seja, segurança para montar o projeto com calma. “Aos poucos, a ideia começou a atrair pessoas e parceiros, reforçando minha crença na nova empreitada”, lembra Rico.

Na prática – O Brasil, segundo Rico, tem pouquíssimas empresas dedicadas ao Volunturismo. O fato de ser uma atividade incipiente, facilitava criar algo novo em comparação às agências de viagem tradicionais. Os programas da Passion & Purpose Experience incluem paisagens, passeios e atividades voluntárias inesquecíveis. Os turistas podem atuar em atividades voltadas à preservação animal e ambiental, em entidades para crianças em situação de risco, entre outras. Outra proposta são roteiros personalizados para famílias, para pais em busca de atividades voluntárias ao lado dos filhos. O site da agência traz sugestões de  roteiros para países de todos os continentes. No Brasil, o destino é a Amazônia e novas opções serão lançadas em breve.

Nas viagens realizadas para desenvolver os programas, Rico fez vários amigos, conheceu lugares muito pobres onde as pessoas mantêm a esperança e viveu momentos de alegria manifestados em pequenos detalhes. Em cada uma delas, trouxe na bagagem sorrisos de crianças, gestos de simplicidade e atenção, abraços fraternos, lembranças de momentos de troca, compartilhamento, acolhimento e conexão entre pessoas do mundo todo. Aos poucos, essas histórias estão sendo publicadas no site e no Facebook.

Uma delas ocorreu recentemente, quando Rico foi ao Quênia. Em Nairóbi, visitou a maior favela do mundo, Kibera, com 2,5 milhões de habitantes e uma ONG criada pela brasileira Mariana Fischer, a Hai Africa. A entidade cuida de órfãos, portadores do vírus HIV e de crianças que passam o dia lá, enquanto os pais trabalham. Antes da viagem, movimentou sua rede social em busca de donativos para a instituição e viajou com 30 quilos de donativos, entre roupas, escovas e pastas de dentes, materiais escolares e brinquedos doados por amigos. Tudo muito bem distribuído e aproveitado.

“Nessas viagens tenho encontrado pessoas incríveis, sejam moradores ou turistas de vários países, buscando fazer o bem a outro ser humano. Em todas as experiências, volto transformado”, relata.  O programa no Quênia está sendo montado e deve incluir, além do trabalho voluntário, visita a um orfanato de elefantes e um safári na reserva Masai Mara. É esperar e conferir.

Hoje, Rico se diz uma pessoa mais calma e tolerante, buscando não julgar os outros. Confiante, acredita no tempo e no trabalho bem feito para o negócio decolar. A paixão pelo sonho que começou a construir é um exemplo para quem está em etapas anteriores do EUpreendedorismo. Ele já definiu o próximo passo: trazer turistas estrangeiros para conhecer as maravilhas do Brasil, enquanto desenvolvem trabalho voluntário.

Silvia Maiolino é membro da Rede Ubuntu e integra a equipe de produção do Papo de Propósito

Facebook Twitter Linkedin+