Em pesquisa recente sobre as expectativas dos profissionais em relação a trabalho remoto e horário flexível, encontrei informações que considerei úteis para os quase 14 milhões de pessoas sem emprego em nosso País.

Escolhas para abrir o coração

Desde o primeiro emprego em um escritório, aos 12 anos, até chegar à área de Marketing em uma multinacional americana do setor do agronegócio, Ana Zacharias nunca escolheu os lugares onde trabalhou. E, mesmo “escolhida” pelas empresas, construiu uma carreira da qual tem muito orgulho e respeito.

Ser coach é a arte de poder acompanhar outro ser humano em uma transição a partir dele mesmo, utilizando técnicas próprias ao coaching e ferramentas de diversas áreas de conhecimento. Esta transição implica em mudanças comportamentais que liberam o coachee para o desenvolvimento de competências pessoais e profissionais. 
  

Observador de mim mesmo e do mundo!

Em tempos de mudanças de paradigma e de era, é inevitável refletirmos se quisermos nos responsabilizar e fazer parte das mudanças que queremos ver no mundo. Gandhi nos inspirou com esta frase: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”. 
 

No final das contas, que diabos estamos fazendo aqui? Por que correr atrás de tudo, todos os dias? Qual o valor das coisas que fazemos frequentemente?

Em pesquisa recente sobre as expectativas dos profissionais em relação a trabalho remoto e horário flexível, encontrei informações que considerei úteis para os quase 14 milhões de pessoas sem emprego em nosso País.

Desde o primeiro emprego em um escritório, aos 12 anos, até chegar à área de Marketing em uma multinacional americana do setor do agronegócio, Ana Zacharias nunca escolheu os lugares onde trabalhou. E, mesmo “escolhida” pelas empresas, construiu uma carreira da qual tem muito orgulho e respeito.

Ser coach é a arte de poder acompanhar outro ser humano em uma transição a partir dele mesmo, utilizando técnicas próprias ao coaching e ferramentas de diversas áreas de conhecimento. Esta transição implica em mudanças comportamentais que liberam o coachee para o desenvolvimento de competências pessoais e profissionais. 
  

Em tempos de mudanças de paradigma e de era, é inevitável refletirmos se quisermos nos responsabilizar e fazer parte das mudanças que queremos ver no mundo. Gandhi nos inspirou com esta frase: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”. 
 

No final das contas, que diabos estamos fazendo aqui? Por que correr atrás de tudo, todos os dias? Qual o valor das coisas que fazemos frequentemente?