Empatia, sentimento sutil

Muito se fala sobre empatia hoje em dia. Mas sabemos realmente do que esta palavra trata e como podemos praticá-la no dia a dia, no âmbito pessoal e profissional?

Há alguns dias me aproximei novamente dela, quando minha filha de 7 anos contou o que havia aprendido na escola sobre empatia, principalmente a prática feita com seus colegas. Estava encantada! Juntos, puderam falar o que cada um achava que era empatia e como utilizá-la no dia a dia com o colega. Também puderam identificar as qualidades de cada estudante. Na prática, surgiram atitudes como perceber que o amigo estava precisando de alguma ajuda, de escuta ou palavras de carinho, oferecendo tudo isso a ele. Lindo de ver!!

Senti um conforto em meu coração, às vezes, aflito ao ver tanta intolerância nos tempos atuais.

Senti, também, uma ponta de esperança ao ver minha pequena aprendendo sobre essa habilidade, sentimento tão sutil e raro, hoje em dia, de se colocar no lugar do outro.

Reconhecer as emoções das pessoas ao nosso redor, ser capaz de pensar além de si e de suas próprias necessidades e preocupações. Tarefa nada fácil, pois, se não nos conhecemos ou sequer aprendemos a reconhecer as nossas próprias emoções, sentimentos e necessidades, como observar e identificar isso tudo no outro?

Mas é necessário ir além de nosso próprio mundo e compreender a perspectiva da outra pessoa.

Construir relacionamentos e compreensão passa por deixar de lado o nosso ponto de vista para compreender e ouvir o ponto de vista do outro.

Você, necessariamente, não tem que concordar com o outro, apenas deve perceber que as pessoas têm opiniões diferentes das suas e respeitá-las.

Ouvir com o coração e usar a sua intuição para se comunicar com o que a outra pessoa sente e necessita.

Assim, poderá construir mais cooperação e colaboração e sair um pouco desse mundo competitivo, pois, quando entender o outro, provavelmente ele também vai querer te entender.

Por isso, se observe e transforme o mundo ao seu redor, com pequenas atitudes como:

 -  Procure compreender sentimentos, emoções e atitudes das pessoas próximas, sem julgá-las.

 -  Aprenda a ouvir as pessoas concentrando-se nelas, olhe no olho; enxergue como estão o seu corpo e os seus movimentos.

 - Literalmente, pare o que estiver fazendo para ouvir, com todo o seu corpo, especialmente o coração!

 - Trate o outro como gostaria de ser tratado.

 

E, principalmente, quando estiver diante de um ser humano, aja com AMOR. Pergunte-se, o que o AMOR faria se estivesse presente...

 

Profile picture for user Rosana
Rosana Jóia
Como Desenvolvedora Humana apoio pessoas que desejam relacionar-se consigo, com suas escolhas, sua autenticidade e suas verdades e nas demais relações (profissional e pessoal) a estarem inteiras no que fazem e serem interdependentes criando conexões/relações verdadeiras. Especificamente no Mãe Ser Mãe apoio mães a se reencontrarem após a maternidade e viverem a partir de seus valores e essência.