Quantos olhos estão brilhando ao seu redor?

Vivemos em uma sociedade e cultura de resultados. Quantas vezes já não escutamos ou mesmo pronunciamos a famosa expressão: “show me the numbers!”.

 

No último século, nosso foco, muito em função da Revolução Industrial e do crescimento significativo da Ciência, tem sido o tangível, os indicadores, as mensurações, apenas o que pode ser comprovado.

 

Muito bem! Acredito que fizemos um bom trabalho como humanidade nesta área. Porém, os tempos são outros... Em pleno Século XXI, com alta conectividade, aumento exponencial da complexidade, colapso de sistemas e instituições políticas, econômicas e sociais, chegou a hora de incluir e transcender.

 

O quê, Edu? Como assim?

 

Chegou a hora de incluir todo este desenvolvimento “exterior”, alcançado ao longo de todos esses anos, e transcender para um próximo estágio – o da integração interior e exterior. A possibilidade real de dançar entre subjetivo e objetivo, tangível e intangível, razão e emoção, matéria e energia sutil.

 

Que papo é esse, Edu? Mas para quê?

 

Vivemos tempos em que criatividade, inteligência relacional, velocidade de desapego e mudança para novos paradigmas, além da solução de problemas complexos, são cada vez mais exigidas e necessárias. Hoje, quem trava as mudanças é o ser humano, e não mais as limitações tecnológicas.

 

OK, Edu. Mas como mexer com o ser humano?

 

Como popularmente dizem por aí... Pela dor e pelo amor!

 

Vivemos tempos nos quais somos colocados frente a frente com nossas maiores sombras. E, pela dor, muitos de nós estão se mexendo (eu, inclusive). Cada qual na sua velocidade, no seu ritmo, mas em movimento.

 

Agora, o outro jeito é pelo amor. Ou pela liderança inspiradora e servidora, para ser menos “abraçar a árvore” nas palavras.

 

Como diz o maestro Benjamin Zander, em um dos meus TED Talks favoritos (https://www.ted.com/talks/benjamin_zander_on_music_and_passion): “quantos olhos brilhando você tem à sua volta?”.

 

A partir dessa observação, ele mede (indicador!) a própria atuação como líder.

 

E você, como está? Pessoas com olhos brilhando têm a capacidade de criar e realizar o que nem mesmo elas imaginavam ter a capacidade de fazer! O desafio, então, é levar pessoas e times a um nível de performance além do esperado e previsto.

 

É por isso que acredito tanto na filosofia Ubuntu, uma essência interdependente, e também no EUpreendedorismo, o processo de reflexão de propósito e maneiras de realizá-lo. E, na minha opinião, todos nós precisamos seguir nesta direção!

 

Nosso planeta, nossa humanidade clama por transformações. E é essa direção que precisamos seguir: integrar interior e exterior!

 

E você, o que acha?

 

Eu sou porque você é. Você é porque nós somos.

 

 

Profile picture for user Eduardo Seidenthal
Eduardo Seidenthal
Sou pai da Vivi e do Gabi. Tenho me dedicado a inspirar pessoas na expressão da humanidade de cada um. Sou facilitador, empreendedor, educador, coach, marketeiro, escritor, palestrante e palhaço.